15/07/2020 por Geisi

FRANGO 4.0?

Compartilhar em:

Image

As 3 primeiras revoluções industriais trouxeram a produção em massa, as linhas de montagem, a eletricidade e a tecnologia da informação, elevando a renda dos trabalhadores e fazendo da competição tecnológica o cerne do desenvolvimento econômico. A quarta revolução industrial, que terá um impacto mais profundo e exponencial, se caracteriza, por um conjunto de tecnologias que permitem a fusão do mundo físico, digital e biológico, neste cenário existe o grande potencial a ser explorado, o da avicultura.

O brasil é o maior exportador de frango do mundo, e continua inovando tanto na tecnologia quanto no jeito de trabalhar.

A modernização da criação de frango se deu pela produção em escala. Hoje, já existem barracões capazes de abrigar até 50 mil aves.

As tarefas variam conforme a idade do lote. A fase pintinho exige muito, pois eles são sensíveis, é preciso manter o ambiente controlado com temperatura entre 33 e 34 graus.

Não é possível monitorar cada frango e muita coisa escapa dos olhos do dono. Por este motivo os galpões precisam contar com sistemas de alarme em tempo real.

As variáveis do ambiente precisam ser medidas e controladas através de sensores e atuadores, como exemplo, um sensor envia a temperatura interna do galpão, esta informação é recebida pelo controlador que liga o forno para aquecer o ambiente ou exaustores para refrigerar. A ave crescida demanda um ambiente de 22, 23 graus, um desafio para o clima tropical do país. "As aves têm uma sensibilidade muito grande no olho, que é 100 vezes mais sensível do que o olho humano".

A lâmpada incandescente comum era inconveniente, trazia muita luz e excesso de calor, a de LED ( Light Emitter Diode), com dimmer regula a intensidade e ajuda a criar o semiescuro ideal. Desta maneira a luminosidade pode ser controlada com facilidade sem interferir na temperatura do aviário.

Os galpões conseguem abrigar um alto número de aves por metro quadrado devido a boa ambiência, caso contrário, as aves iriam sofrer um estresse calórico e acabar morrendo ou tento baixíssimo desempenho.

A quarta revolução industrial está chegando ao Brasil, existem empresas desenvolvendo novas tecnologias voltadas a avicultura, com objetivo de fazer a integração completa da cadeira produtiva, desde a entrega dos pintainhos até o abate das aves no frigorífico. Uma nova era onde o produtor vai conseguir visualizar e modificar todas as variáveis de seus galpões em seu smartphone, as máquinas do frigorifico “conversando” com os equipamentos instalados nos aviários, um gerenciamento total desde o consumo de água, ração, energia, entre outros, esta nova fase poderá ser chamada de “Frango 4.0”.

Image
  • Frango de corte X Economia nacional

    19/08/2021 - FLAVIA CASAGRANDE

    Desde o início da produção de frangos de corte no Brasil, a cadeia produtiva deste produto modernizou-se e continua b...